ae brand lab

O impacto da disrupção nos negócios da América Latina

Hoje a disrupção faz parte do dicionário dos negócios. A possibilidade de mudanças inesperadas é um fator que os CEOs da América Latina e do mundo priorizam nos seus planos de crescimento, porque todos os dias surgem novos concorrentes com modelos de negócio inovadores que competem com as corporações tradicionais.

O estudo Global CEO Outlook, realizada pela KPMG com líderes empresariais do mundo todo, avaliou as suas perspectivas dos participantes em relação à tecnologia e a sua confiança na economia, para definir quais são os assuntos que têm maior impacto na agenda. De acordo com os resultados, os CEOs da América Latina lidam cotidianamente com a disrupção em suas indústrias; no entanto, em comparação com os líderes mundiais, estão menos preocupados pelo impacto que esta tem nos setores em que operam: somente 25% esperam que haja disrupções significativas no seu setor devido à inovação tecnológica nos próximos três anos, em comparação com os 48% da amostra global.

Além disso, os participantes da América Latina compreendem que é cada vez mais necessário entender o cliente. Para isso são necessárias ferramentas como data & analytics para compreender melhor as necessidades e padrões de consumo, bem como as redes sociais para aumentar o valor da marca ou responder às preocupações dos compradores. Existem empresas que já estão começando a criar modelos que incluem publicidade móvel, redes sociais e outros veículos não tradicionais para se comunicar com o consumidor.

Por exemplo, no México, cerca de dois terços do sistema bancário são instituições internacionais, que trazem modelos de negócio de outros países para garantir que o cliente está no ponto central da sua estratégia, com o objetivo de se diferenciar dos seus concorrentes e melhorando o aproveitamento da informação. Estas capacidades são novas, mas a concorrência internacional está empurrando o continente nessa direção.

Nesse sentido, os CEOs da América Latina são mais cautelosos que os mundiais e preferem ver como a indústria se comporta ao sofrer algum tipo de disrupção que afete às empresas em outras regiões como América do Norte e Europa. Apenas 30% dos CEOs na América Latina estão preocupados com o fato de que suas organizações estejam na vanguarda no desenvolvimento de produtos e serviços, em comparação com quase metade (45%) dos diretores gerais mundiais.

A pesar dos pontos de desencontro com as tendências globais, as preferências dos líderes da América Latina fazem sentido. Ao analisar como ocorreram a maioria das disrupções tecnológicas na Europa e nos Estados Unidos vemos que estas são propiciadas pelo uso de aplicativos e serviços digitais que dependem do pagamento com cartão de débito ou crédito, e na América Latina, apenas uma pequena parte da população tem conta bancária.

Com o avanço tecnológico, atualmente a discussão está focada em se os serviços oferecidos online serão uma ameaça para os negócios tradicionais quando a inclusão financeira aumenta significativamente ou quando os fornecedores de telefonia móvel incentivam um maior consumo. No entanto, a aparente complacência dos CEOs na América Latina em relação à disrupção tecnológica permanecerá a curto praz.

Em suma,  o levantamento deixa claro que os líderes empresariais da região são mais cautelosos em relação ao resto do mundo no que se refere à disrupção; no entanto, em meio a vantagens, desafios e concorrência, estão se preparando para enfrentar os impactos do avanço tecnológico nos negócios, porque se trata de um caminho sem retorno.

Por: Víctor Esquivel

Presidente
KPMG no México,
asesoria@kpmg.com.mx
Visite: www.delineandoestrategias.com

Observação: as ideias e opiniões expressadas neste escrito são do autor e não necessariamente representam as ideias e opiniões da KPMG no México.

Sala de imprensa: https://home.kpmg.com/mx/es/home/sala-de-prensa.html

Caso queira mais informações ou uma entrevista com o especialista, favor entrar em contato com:

Jessica Sánchez  
Coordenadora de Comunicação Corporativa  
KPMG no México
5246 8328
jessicasanchez@kpmg.com.mx      

                    Nachelt Rodríguez
                     Comunicação Corporativa
                     KPMG no México
                     5246 8300 ext. 2409
                     nacheltrodriguez@kpmg.com.mx

Sobre KPMG International

A KPMG é uma rede global de empresas profissionais que fornecem serviços de auditoria, impostos e assessoria. Operamos em 152 países e temos mais de 189,000 profissionais que trabalham nas empresas membro ao redor do mundo. As empresas membro independentes da rede da KPMG estão afiliadas a KPMG International Cooperative (“KPMG International”), uma entidade suíça. Cada empresa membro da KPMG é uma entidade legal separada e independente e cada uma se descreve a si mesma como tal.

Sobre a KPMG no México

A KPMG no México conta com 190 Sócios e 3.000 profissionais em 18 escritórios localizados estrategicamente nas cidades mais importantes, para oferecer serviços de assessoria a clientes locais, nacionais e multinacionais. Para mais informações visite: www.kpmg.com.mx