O turismo segue crescendo como um dos aspectos principais na condição econômica do país líder da Europa. Em 2017 a Alemanha registrou 83,6 milhões de pernoites internacionais, com alta de 36%, e nos dois primeiros meses deste ano já aumentou 5,2%.

O turismo alemão foi responsável pela geração de € 35,1 bilhões, um total que subiu 8,7% e prosseguiu em ascensão como segundo mais popular destino europeu no geral, somando 52 milhões de visitantes – a Espanha liderou, com 67 milhões – e como país mais indicado em viagens de férias e lazer.

Os números apresentados durante a 48ª edição da Germany Travel Mart (GTM), iniciada neste domingo (6) em Dresden, realmente impressionam pela diversidade que representam. São 51 países participantes do evento na cidade com mais de 800 anos de história.

Dos dez principais destinos emissores que enviam turistas para a Alemanha, com liderança da Holanda, o único não europeu são os Estados Unidos.

A América do Sul também teve bons números crescendo, 3,2% no total. O Brasil seguiu na frente, mas já teve a companhia ascendente de mercados como a Argentina, o Chile e a Colômbia. A expectativa projetada é que as viagens de turistas procedentes do continente tenham aumento de 6%, inclusive pelos atrativos especiais: 2018 como o ano da culinária, 2019 com os 100 anos de Bahaus, a temática do design e arquitetura com Weimar, Dessau e Berlim no trio de centro de atrações e em 2020 a comemoração dos 250 anos do nascimento de Beethoven. 

A cada ano a GTM promove um encontro comercial mais amplo, com novas plataformas e interlocutores do mercado. E realiza intensos estudos para medir resultados, como a análise de que 77% dos visitantes utilizaram a Internet para se informar turisticamente sobre o país e seus atrativos.

A Alemanha tem um tráfego turístico internacional com ações de 32 escritórios internacionais, inclusive com o DZT Brasil, que terá programas expressivos de promoção junto ao mercado, com evento confirmado para 21 de agosto em São Paulo.

A diretora do turismo alemão no Brasil, Margaret Grantham, lidera a delegação brasileira de oito operadores – de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso e Rio Grande do Sul – que está participando do evento. No ano que vem a sede escolhida é a cidade de Wiesbaden.