O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu nesta sexta-feira (22) que os legisladores republicanos "não percam tempo" com temas de imigração até a realização das eleições legislativas de novembro e acusou os democratas de estarem "jogando" com um problema que não lhes interessou por décadas.

"Os republicanos deveriam deixar de perder o tempo com (temas) de imigração até que elejamos mais senadores e congressistas em novembro. Os democratas só estão jogando, não têm intenção de fazer nada para resolver este problema que se estende por décadas", escreveu Trump em sua conta do Twitter.

O líder acrescentou que, caso não sejam cumpridas as previsões que apontam para uma provável melhoria dos resultados da oposição nas próximas eleições, os conservadores poderão aprovar "uma grande legislação". Estas afirmações foram feitas depois que nos últimos dias ficou claro que os republicanos não contam com os votos necessários, em nenhuma das duas câmaras do Congresso, para aprovar projetos de lei que, entre outras medidas, perseguiam a obtenção de fundos para a construção do muro fronteiriço.

Perante a impossibilidade de construir tal muro, a atual Administração iniciou há semanas uma polêmica política de "tolerância zero" nas fronteiras, que levou à separação das famílias de imigrantes que entravam no país desde o México.

"Devemos nos manter fortes na fronteira sul. Não podemos permitir que o nosso país seja alvo de imigrantes ilegais enquanto os democratas contam suas hipócritas histórias de tristeza e pena, com a esperança que lhes ajudem nas eleições", justificou Trump hoje em outro Tweet.

Apesar desta alegação, após a onda de críticas por tal medida, que chegaram inclusive desde o seio de seu próprio partido e de membros de sua família, o líder optou nesta semana por assinar um decreto com o qual pretende pôr fim à separação familiar dos imigrantes.

"Com (o ex-pressente Barack) Obama e com outros, foram vistas as mesmas fotografias e não fizeram nada a respeito!", concluiu o presidente.