O Gabinete Logístico do Governo do Panamá apresentou na quinta-feira (22) a Estratégia Logística Nacional, uma iniciativa para converter o Panamá em um centro logístico de nível mundial.

O setor logístico do Panamá, incluindo portos e o Canal do Panamá, representam cerca de 15% do PIB (Produto Interno Bruto) do país.

O documento, desenvolvido pelo Gabinete Logístico com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e divulgado aos veículos de imprensa nesta sexta-feira (23), abrange as diretrizes que devem ser seguidas pelo Estado nos próximos 15 anos para impulsionar o setor.

Ana Reyes, coordenadora do Gabinete de Logística, afirmou que a expansão do Canal representa novos desafios que o Panamá deve assumir com responsabilidade.

"A estratégia reafirma a visão de converter o Panamá em um centro de logística de nível mundial. Isso significa ser líder em inovação no setor de serviços de distribuição, promover projetos de integração logística com o resto da região, aproveitando também a posição geográfica do Panamá, que permite uma ampla conectividade global", afirmou.

Os Objetivos da Estratégia Logística Nacional

- Criação do HUB Central da Zona Interoceânica Central e o desenvolvimento desta zona para se tornar um hub logístico mundial de valor agregado, líder em inovação e em conectividade global.

- Integração Logística Nacional: procura integrar setor agrícola, transporte de carga e distribuição urbana de mercadorias, com foco na sustentabilidade.

- Logística de Comércio Exterior: é a base da integração logística com o Sistema Aduaneiro Integral de nível avançado.

- Consenso e Institucionalização: sistema de governança forte, baseado em uma "parceria público-privada".