A Cisco, em conjunto com o Gartner Research, elaborou o estudo Cisco Digital Readiness Index, que mediu a preparação digital de 118 países a partir de componentes como infraestrutura tecnológica, capital humano, necessidades básicas e investimento governamental e empresarial – o levantamento inclui 19 países da América Latina.

Num panorama geral, os latino-americanos estão num estágio entre a preparação básica, denominada Ativar, e intermediária, chamada Acelerar. O Brasil está na 10a colocação entre os países pesquisados na região, no estágio Acelerar, que inclui aqueles que devem continuar investindo no desenvolvimento do capital humano para aumentar o ritmo e o alcance da tecnologia digital dentro e fora de suas fronteiras.

Os países no estágio Ativar estão iniciando sua jornada digital. Entre eles estão muitos africanos e alguns do Oriente Médio e Ásia. Os países no estágio Acelerar obtiveram uma pontuação intermediária, com algumas pontuações de componentes com margem para melhorias. Os países nesse estágio intermediário incluem muitos da América Latina, Europa Oriental e alguns da Ásia. Um terceiro estágio, Amplificar, é o das nações com o mais alto nível de preparação digital, incluin-do os Estados Unidos, muitos países da Europa Ocidental e alguns na Ásia, como Singapura, Japão e Austrália.

De acordo com o estudo, a média da América Latina foi de 11,78. A média global de preparação digital é 11,96. As pontuações globais de preparação digital para os países no estágio mais alto (Amplificar) tiveram uma média de 16,83. Aqueles no estágio intermediário de preparação digital (Acelerar) tiveram uma média de 12,49, e aqueles no estágio inferior de preparação digital (Ativar) tiveram uma média de 7,91.

O Brasil obteve uma média geral 11,80 – 2,7 pontos abaixo da média que o classificaria na categoria Amplificar. Quando analisados os resultados de componentes específicos, o Brasil obteve resultados variados. O país tem a melhor colocação da América Latina em Investimento Governamental e Empresarial e está bem colocado na Adoção de Tecnologia e Infraestrutura Tecnológica, sendo 7o e 5o na América Latina, respectivamente. O país ocupa a oitava posição na região em Empreendedorismo, mas apenas o 17o lugar em Facilidade para se fazer negócios. Com relação ao Capital Humano, o país é o 13o na região.