Os dados consolidados da Abracorp, a associação que reúne as empresas do segmento de viagens corporativas, mostram que, na comparação entre 2016 e 2017, a variação foi positiva em 6,6%.

O total em valores saltou de R$ 10.7 bilhões para R$ 11,4 bilhões. Dos 12 segmentos pesquisados, destaque para a recuperação do aéreo: o nacional cresceu 9,9% e o internacional 22%.

Enquanto o aéreo doméstico evoluiu de R$ 4 bilhões para R$ 4,4 bilhões, o internacional passou de R$ 3 bilhões para R$ 3,7 bilhões. Embora menos representativo, o segmento de transfers cresceu 31,9% em 2017. O mesmo se deu com o item cartão assistencial (seguro de viagens), que avançou 30%.

A Gol Linhas Aéreas liderou o desempenho aéreo no mercado doméstico, crescendo 12,9% no faturamento e passando de R$ 1,2 bilhões em 2016 para quase R$ 1,4 bilhões em 2017. Em termos nominais, a Avianca Brasil avançou 26,5% (R$ 394 milhões para R$ 499 milhões). A Azul subiu 5,9% (de R$ 1,1 bilhão para R$ 1,2 bilhão). E a Latam cresceu 4,1% nas vendas, passando de R$ 1,19 bilhão para R$ 1,24 bilhão. A tarifa média do aéreo doméstico aumentou 4,8%.

A Latam liderou as vendas do aéreo internacional, crescendo 12,6%. Em bilhetes vendidos, aumentou 10,6%. A American Airlines faturou 17,7% a mais, e a Air France/KLM registrou crescimento nominal de 39,5%.

Recuo na hotelaria

Já os meios de hospedagem doméstico e internacional, juntos, registraram redução de vendas em 4,6%, na comparação dos dois exercícios. Ou seja: o recuo foi de R$ 2,3 bilhões para R$ 2,2 bilhões. Em separado, a hotelaria nacional decaiu 5,3%, e a internacional recuou 7,7%.

A Rede Accor cresceu 5% , chegando a 1,1 milhão de diárias em 2017. Embora com menor volume, a Blue Tree Hotels cresceu 13,3% em venda de diárias – saltou de 213 mil para 242 mil. A diária média da hotelaria nacional regrediu 6,7%, na comparação.

O grupo dos hotéis independentes, detentor do maior faturamento na hotelaria nacional, sofreu variação negativa de 0,1% de um exercício para outro. O Bourbon registrou crescimento de 21,2%.

A hotelaria internacional registrou resultado positivo. Cresceu 7,2% na venda de room nights e 7,4% em faturamento. As demais redes apresentaram resultados negativos.

Locação

Enquanto a locação doméstica recuou 9%, a internacional caiu 10%. Localiza e Movida lideraram em venda de diárias e faturamento. A Localiza cresceu 0,2% em venda de diárias, enquanto apresentou oscilação quase zero em faturamento.

A Movida caiu 0,9% na venda de diárias e -7% em faturamento .Já o segmento de transfers cresceu 31,9%, em números absolutos.