O vice-presidente da Venezuela, Tarek El Aissami, afirmou na tarde da quarta-feira (28) que as Forças Armadas do país encontraram o helicóptero usado no ataque contra o Supremo Tribunal de Justiça (TSJ, na sigla em espanhol) e do Ministério do Interior na terça-feira (27).

"O avião foi localizado na cidade de Osma, em Vargas (perto de Caracas). Até agora ninguém foi detido", disse El Aissami.

As buscas pelo piloto, "o terrorista Óscar Pérez", vai continuar o tempo que for necessário, disse o vice-presidente. Além disso, foi emitido um mandado de prisão contra o suspeito com aviso vermelho para a Interpol.

A versão oficial relatada pelo governo de Nicolás Maduro afirma que Pérez roubou o helicóptero da polícia judiciária e, com vários cúmplices, disparou quatro granadas contra o TSJ e realizou disparos contra o ministério. 

"Vamos continuar agora mesmo acionando o grupo de forças especiais em toda a área para determinar quais outras movimentações pode ter feito" Óscar Pérez, que é membro da polícia científica CICPC. "Vamos fazer justiça assim que seja capturado esse desertor, fanático e ainda traidor da pátria”, disse o vice-presidente venezuelano à imprensa.

"Acentuar a escalada golpista" O helicóptero será periciado no local encontrado, antes de ser transferido para Caracas, "onde serão feitas perícias", disse El Aissami. De acordo com o vice-presidente, a descoberta demonstra a "capacidade de reação imediata do povo da Venezuela" ante os ataques realizados por Perez e pediu aos cidadãos para ajudarem nas investigações.

O ministro do Interior e Justiça, Néstor Reverol, confirmou pouco antes da emissão da ordem de captura contra Pérez. Segundo Reverol, os ataques têm a intenção de "acentuar a escalada golpista e sua ofensiva insurrecional e a espiral de violência" que, argumenta ele, foi convocado pela oposição da Venezuela, a quem acusou de manter um silêncio cúmplice diante dos últimos acontecimentos.

Vea más noticias de aquí