O secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Sonny Perdue, anunciou nesta quinta-feira (22) a suspensão das importações de carne bovina fresca do Brasil devido a recorrentes preocupações de segurança sanitária.

Segundo nota divulgada pelo Departamento de Agricultura americano (USDA, na sigla em inglês), a suspensão será mantida até que o Ministério da Agricultura do Brasil tome ações para corrigir o problema.

Desde março, após o escândalo revelado pela Operação Carne Fraca, o Serviço de Inspeção e Segurança Alimentar do USDA controla todas as carnes importadas pelos EUA procedentes do Brasil.

Desde então, os agentes do órgão recusaram a entrada de 11% delas. O índice seria "substancialmente maior" na comparação com outros países. De acordo com o comunicado, o órgão rejeitou 106 lotes de carne bovina fresca brasileira por causa de "preocupações com a saúde pública, condições sanitárias e questões de saúde animal".

Segundo o USDA, o governo brasileiro tentou responder às preocupações do governo dos EUA na quarta (21), suspendendo a exportação de cinco plantas do país para os EUA.

"Garantir a segurança do abastecimento de alimentos de nossa nação é uma das nossas missões críticas e que nós levamos com grande seriedade", destacou Perdue, no comunicado. "Minha primeira preocupação é proteger os consumidores americanos. É isso o que fizemos ao suspender a importação de carne fresca do Brasil", concluiu.

Infografik Die zehn größten Importeure von brasilianischem Rindfleisch Portugiesisch

Após um pedido de autoridades americanas, o Ministério da Agricultura anunciou nesta quarta-feira a suspensão das exportações de cinco frigoríficos para os Estados Unidos, devido a irregularidades provocadas pela reação à vacina contra a febre aftosa.

Foram suspensas as exportações de três plantas da Marfrig, localizadas em São Gabriel (RS), Promissão (SP) e Paranatinga (MS); uma da JBS, localizada em Campo Grande (MS); e uma da Minerva, em Palmeiras de Goiás (GO).

Operação Carne Fraca

Lançada pela Polícia Federal em 17 de março, a Operação Carne Fraca trouxe à tona suspeitas de irregularidades na produção e fiscalização do setor.

A PF descobriu e desarticulou um esquema de corrupção envolvendo frigoríficos, fornecedores e fiscais agropecuários, que recebiam propina para amenizar fiscalizações.

A Operação Carne Fraca provocou turbulências no mercado interno e de exportação de carne. O Brasil é o maior exportador mundial de carne bovina e de frango e o quarto no segmento de suínos.

Após o escândalo, 22 países e a UE impuseram restrições parciais ou totais às importações do produto e a média diária de exportação de carne caiu 19%, segundo informou o Ministério da Indústria e Comércio Exterior.

Vea más noticias de aquí