A atuação de mais de duas décadas como médico na cidade de Guarujá, na Baixada Santista, deu ao gastroenterologista Válter Suman a experiência de conhecer “as vísceras sociais” e a realidade de pobreza e falta de recursos vivida por uma parcela significativa da população. Defensor de projetos como o modelo domiciliar de atendimento, que desafoga os hospitais, elegeu-se vereador em 2004 e 2008.

A política não era meta ou objetivo de vida, mas Suman conta ter ingressado na vida pública por ter se “inconformado com a situação da cidade”. “A política tem a condição de realizar projetos de impacto que transformam uma comunidade”, definiu na palestra da série Conversando com quem faz a diferença, promovida por AméricaEconomia e pelo Global Council of Sales Marketing (GCSM) nesta segunda (23), em São Paulo. O encontro teve mediação de Tathiana Turbian, vice-presidente do Grupo Innsbruck, que publica AméricaEconomia.

Em 2012, Suman integrou como vice a chapa derrotada na eleição municipal, e em 2016 foi eleito prefeito pelo PSB com uma margem apertada no segundo turno: 50,84% dos votos válidos contra 49,16% – uma diferença de apenas 2.646 votos.

“Tenho que entregar para meu sucessor uma cidade limpa, iluminada, com segurança, sinalizada e com acessibilidade. Em um ano e 4 meses já conseguimos resgatar um pouco dessa cidade”, disse. Na área social, Suman citou medidas como a redução da carência de vagas nas creches, que era de 2.500 e hoje é de 1.900, além de investimentos na infraestrutura e recuperação de postos de saúde e escolas.

O prefeito considera que o transporte público ainda tem problemas importantes para os cerca de 80 mil passageiros diários do sistema. A empresa responsável pelo serviço está operando sem contrato, situação que gerou uma ação civil pública do Ministério Público contra a gestão anterior. Já foi publicado o edital de licitação para o setor, e a expectativa é de que no segundo semestre uma nova empresa assuma a área.

Outra medida é a da melhoria da iluminação pública, também em fase de licitação. Para o prefeito, essa é uma ação que repercute na segurança. “É preciso atacar a insegurança de todas as formas em que ela se manifesta. Temos monitoramento por drone, nova central e novas bases da Polícia Militar, investimentos na Guarda Civil etc. Com tudo isso já conseguimos reduzir as ocorrências”, afirmou. “E precisamos gerar condições para que os pais de família tenham sua oportunidade de trabalho”, completou. O desemprego atinge cerca de 10% da mão de obra ativa do município de cerca de 310 mil habitantes.

Aeroporto

Para o prefeito, oferecer segurança é indispensável para atrair mais turistas e visitantes. Fazer com que a taxa de ocupação da rede hoteleira cresça cada vez mais é importante porque o setor de serviços gera muitos empregos diretos e indiretos. “O turismo, a cultura, o esporte e o lazer têm que ser atividades boas para os visitantes, mas também para quem mora na cidade”, defendeu.

Entre os investimentos para qualificar a mão de obra está a criação de um Centro de Inovação e Tecnologia que possa incubar novas empresas, a exemplo do que ocorre em municípios como Sorocaba. Suman mencionou que há muitas solicitações de alvarás para novos empreendimentos e construções na cidade. A prefeitura vem exigindo das incorporadoras que ofereçam como contrapartida uma creche ou moradias populares para a transferência de famílias que vivem em condições degradantes ou em áreas de risco.

Outro empreendimento que deve fomentar o turismo é a utilização da Base Aérea de Santos, da Força Aérea Brasileira, localizada no distrito de Vicente de Carvalho, para voos comerciais. As tratativas com a Aeronáutica estão em andamento e, de acordo com o prefeito, existe a expectativa de que essa operação comece no segundo semestre. Uma empresa aérea já está interessada, acenando com a perspectiva de trazer visitantes dos países do cone Sul.

Suman salientou que não governa sozinho e que divide a cadeira de prefeito com vários atores, dialogando frequentemente com vereadores, Ministério Público, Tribunal de Contas do Estado e conselhos deliberativos, entre outros órgãos.

No mesmo espírito, definiu-se como incentivador da metropolização, que poderia encaminhar soluções em conjunto para os dois milhões de moradores das nove cidades da Baixada, que enfrentam problemas em áreas como destinação dos resíduos sólidos, saneamento e saúde. O prefeito acredita que a posse de Márcio França, também do PSB, como governador abra novas possibilidades de financiamentos e parcerias com o Executivo estadual.

Suman não deixou a medicina: mantém uma rotina de atendimento a cada quinze dias, principalmente para os pacientes portadores de doenças crônicas que já acompanhava. Aos 58 anos, casado com a professora Edna Maria, tem dois filhos, também médicos. Filho e neto de sapateiros, só a muito custo e com auxílio de crédito educativo conseguiu fazer a faculdade. Ao final do evento, a menção ao pai o emocionou.

O Conversando com quem faz a diferença foi transmitido ao vivo nos canais da AméricaEconomia Brasil e do GCSM no YouTube. Uma versão editada do encontro estará disponível nos canais nos próximos dias.