Com a liberação por parte do governo brasileiro, Embraer e Boeing avançam nas tratativas para a composição da nova empresa fabricante de aviões comerciais, cujo gerenciamento terá 80% da fabricante norte-americana e 20% por parte da Embraer.  O acordo preliminar já foi alcançado.

Boeing e Embraer vão constituir uma terceira empresa de aviação comercial. A avaliação da empresa é de US$ 4,75 bilhões (R$ 18,54 bilhões).

O memorando estabelece as premissas básicas para a criação de uma joint venture que receberá parte dos aviões comerciais da Embraer, a terceira maior fabricante do mundo, com um volume de negócios de US$ 6 bilhões (R$ 23,43 bilhões).

A Boeing irá administrar a parte principal do capital da companhia, com o seu controle operacional e gestão, pelos quais deverá pagar US$ 3,80 bilhões (R$ 14,83 bilhões), enquanto a Embraer terá os 20% restantes. O acordo definitivo, a ser submetido junto a autoridades do setor e acionistas de ambas, deverá ser concluído antes de 2020.