A notícia mais destacada de hoje é como uma fumaça de paz, assinalando a concordância da Coreia do Norte em enviar uma delegação de atletas, torcedores, turistas e imprensa para a participação nos Jogos Olímpicos de Inverno que serão realizados em Pyeongchang, a 80 km. da fronteira com a Coréia do Sul.

O anuncio feito pela agência de notícias sul-coreana Yonhap, diz que os atletas dos dois países vão desfilar juntos nas cerimônias de abertura e encerramento. O resultado das conversações realizadas na zona desmilitarizada de Panmunjon acrescentou o acerto para um reinicio de conversações entre as duas Coreias também a nível militar.

‘Um primeiro presente de Ano Novo, um resultado que não tem preço”, assim comemorou o ministro da Unificação que chefiou a delegação sul-coreana. Em nome de uma Coréia unificada, um diálogo com sinceridade e seriedade como não havia ocorrido nos últimos anos, apontaram segmentos dos dois países separados por uma guerra que foi em 1950 e teve convergências político-militares com envolvimento de aliados que chegou a conflitos verbais e ameaças de uma batalha nuclear envolvendo a China e os Estados Unidos.

Os delegados sul-coreanos também acrescentaram uma proposta de conversações com a Cruz Vermelha Internacional para permitir reuniões de familiares separados desde o conflito entre os anos de 1950 e 1953. Isto poderá acontecer durante a celebração do Ano Novo Lunar, em fevereiro.

A posição norte-coreana foi expressa no sentido de que as duas Coreias têm que realizar esforços para promover a Paz e a reconciliação mediante negociações. Estas conversações que chegaram ao acordo hoje anunciado são as primeiras desde dezembro de 2015.