O Conselho Nacional de Turismo (CNT) realizou nesta segunda (6), na cidade de Itupeva, sua 52ª Reunião Ordinária, com a promoção do debate entre o poder público e a iniciativa privada sobre temas urgentes do setor.

O colegiado, formado pelas principais entidades representativas da atividade, destacou a necessidade de o turismo atuar como protagonista e ocupar lugar de destaque na pauta política e econômica brasileira, ainda mais com a oportunidade das eleições de outubro. 

O documento em defesa do turismo, produzido por 26 entidades que fazem parte do CNT, está sendo entregue a todos os candidatos à presidência da República. Já foi encaminhado para 6 dos treze postulantes, e ainda nesta semana a lista será completada.

O documento traz subsídios, números do setor e informações detalhadas para um maior conhecimento sobre a relevante contribuição que o turismo pode dar para a economia nacional, especialmente em relação à geração de emprego e renda.

O principal tema do encontro foi o compromisso de inserir o setor na realidade econômica brasileira.

O Ministério do Turismo apresentou documento e um vídeo para divulgação pelas entidades com as metas e o impacto positivo do setor até 2022, como a geração de 2 milhões de novos empregos, a inserção de 40 milhões de pessoas no mercado de viagens e, no âmbito da Embratur, o salto dos atuais 6,6 para 12 milhões de turistas internacionais no Brasil e da receita procedente, saindo dos atuais US$ 6 bilhões para US$ 19 bilhões em 2022.

A transformação da Embratur em agência de promoção volta a ser assunto de expectativa com o ingresso do tema na pauta concentrada do Congresso para esta semana.

O projeto de lei 2724/2015, da Lei Geral do Turismo, que tramita em caráter de urgência na Câmara dos Deputados, conta com apoio integral do CNT.