O Chile se tornou o campeão regional da paz, de acordo com o Global Peace Index 2017, realizado pelo Instituto para a Economia e a Paz, estudo que mede a tranquilidade de 163 países ao redor do globo.

No ranking mundial, o Chile está na 24ª colocação, liderando na América Latina, região que também tem Uruguai (35) e Argentina (55) em boas colocações no âmbito global.

Considerando o mundo inteiro, a Islândia é o país mais pacífico, seguida por Dinamarca e Áustria, países que lideram o índice desde 2007, quando teve início o estudo.

O estudo é feito a partir de 23 indicadores qualitativos e quantitativos como: conflitos armados, delitos violentos, situação fronteiriça e a quantidade de armas de um país determina o seu nível de segurança, relacionada diretamente com os rendimentos, a educação, a transparência e a integridade e honestidade dos cargos públicos.

Além disso, o relatório destaca que o Chile ainda tem “tensões limítrofes” com o Peru e a Bolívia, que estão em disputa na Corte Internacional de Haia.

Em queda

A segurança tem caído nos últimos dez anos, de acordo com o índice, que aponta vários fatores de deterioração em diversas zonas globais, como a turbulência política nos Estados Unidos, a ascensão do populismo na Europa e um fator global que tem marcado esta década: a nova era de terrorismo global liderada pelo Estado Islâmico.

Nem sequer a leve queda na insegurança registrada nos últimos 12 meses, período em que 93 países melhoraram o seu chamado “índice de paz”, graça a certa redução nos níveis de criminalidade e a eliminação de algumas prática pontuais de terrorismo de Estado –  têm conseguido amenizar essa tendência em um mundo onde três regiões, a África Sub Saariana, o Norte da África e o Oriente Médio, permanecem como os principais focos de conflito e, o que é ainda pior, registram uma desigualdade cada vez maior entre as regiões seguras e as perigosas.

Síria, o país mais violento do mundo

Como era esperado, a Síria continua sendo o país mais violento do mundo, à frente de Afeganistão, Iraque, Sudão do Sul e Iêmen, segundo o estudo, que destaca a alta periculosidade que ainda existe em países como Filipinas, Coreia do Norte, Azerbaijão, Rússia, Ucrânia, Nepal e Colômbia.

Com oito países entre os dez mais pacíficos do planeta (com Islândia no topo da lista), a Europa segue como a região mais pacífica do mundo, seguida pela América do Norte, embora o Velho Continente tenha sofrido uma queda de estabilidade no Sudeste por causa de um “aumento do sentimento nacionalista”, segundo aponta o informe da análise mundial.