Neste domingo (16), a Catedral da Sé, no centro de São Paulo, recebe o “Café Colonial Dona Lucinha”, assinado pela Chef Elzinha Nunes.

O evento faz parte da programação do Brunch da Catedral, que ocorre mensalmente na igreja, a fim de angariar fundos para a preservação e revitalização desse cartão postal paulistano. Cada edição conta com um chef parceiro diferente, que prepara um cardápio especial.

Na edição comandada pela filha de Dona Lucinha, o cardápio será tipicamente mineiro. Entre as gostosuras do menu estão o quebra-quebra, um delicado biscoitinho feito com araruta, e a rosca da rainha, uma espécie de pão doce mineiro.

Bolinho de chuva, bolo de milho, queijos da roça, rocambole de feijão tropeiro, lascas de polvilho e o tradicional pão de queijo também fazem parte do cardápio.

Todo o lucro da ação será revertido para a Associação Amigos da Catedral Metropolitana de São Paulo.

Filha de Dona Lucinha, a maior representante da cozinha mineira no Brasil, Elzinha Nunes seguiu os passos da mãe. Nascida em Serro, município de Minas Gerais, a chef cresceu aguçando os sentidos e aprendendo os afazeres da cozinha.

A mineira estudou na França e na Itália, e hoje ministra cursos e palestras, além de comandar o programa Condimentos, no canal Chef TV. Elzinha também lidera sua marca de quitandas mineiras e realiza consultorias no Brasil e exterior.

Assim como sua mãe, Elzinha acredita que o primeiro ingrediente que se põe na panela é o amor. Sua paixão é levar o café colonial a todo o Brasil como uma maneira de homenagear e também resgatar os sabores dos quitutes preparados por sua avó e sua mãe.

O café colonial ocorre no 16 de setembro, às 12h30, na Catedral da Sé, Centro de São Paulo. O convite custa R$ 200,00 por pessoa.