A sorte está lançada. O cerimonial em grande estilo promovido para a realização do sorteio de grupos e jogos da Copa do Mundo 2018 teve uma enorme atenção e prestígio no Palácio do Kremlin, em Moscou, reunindo o mundo do futebol. O Brasil ficou com adversários que estavam na expectativa: nos jogos da primeira fase pelo grupo E enfrentará a Sérvia, Suíça e Costa Rica. A estreia brasileira será dia 17 de junho contra os suíços em Rostow.

Na formação dos grupos, um destaque para o B, onde Portugal é cabeça de chave e a Espanha será uma das rivais.  Um dos grandes confrontos da primeira fase, o jogo será no dia 15, no estádio olímpico de Sochi. Irã e Marrocos completam a chave.

Os atuais campeões do Mundo estrearão diante do México. No grupo F, além da Alemanha e da equipe asteca estão a Suécia e República da Coréia.

O grupo A, com a anfitriã Rússia que fará o jogo inaugural dia 14 de junho contra a Arábia Saudita, terá também o Uruguai e o Egito.

A Argentina, que está no F, mais uma vez terá a seleção da Nigéria como integrante da sua chave – é a quinta vez seguida que isto acontece. A surpreendente Islândia, uma das incógnitas do Mundial será a adversária inaugural dos ‘hermanos’ no jogo marcado para Moscou, enquanto a seleção da Croácia completa a chave.

No grupo C a França terá a Dinamarca, o Peru e a Austrália, enquanto no D jogarão a Bélgica, Inglaterra, Tunísia e Panamá.

Completando os oito grupos, no H entraram a Polônia, Colômbia, Japão e o Senegal.

Pela composição das chaves dentro do modelo implantado pela FIFA, o Brasil poderá enfrentar a Alemanha já nas quartas de final e depois a França nas semifinais.  Antes do mundial, dia 27 de março, em Berlim, Alemanha e Brasil farão o primeiro encontro depois do último jogo, aquele dos 7x1.

Diferente de outras Copas, o sorteio do Mundial da Rússia não terá um ‘grupo da morte’. No ambiente festivo e de celebridades, a entidade mundial aproveitou para mostrar os dez gols mais bonitos e importantes dos mundiais já realizados.

O primeiro ministro Vladimir Putin esteve em cena com Gianni Infantino, presidente da FIFA, juntamente com Vitaly Mutko, chefe da comissão organizadora da Copa e em discursos que foram mais agradecimentos e felicitações pela próxima realização do Mundial e o trabalho feito pelo pais sede nos últimos anos.