O fim da regulamentação que impedia a “guerra de ofertas” entre as empresas low cost que estão proliferando na Argentina é uma batalha ganha no propósito das empresas pelo barateamento dos bilhetes aéreos.

A eliminação do preço mínimo fixado segue o pressuposto existente em vários países.  Assim, a partir do dia 15 de agosto, as companhias poderão vender os bilhetes domésticos ao preço que desejarem, com um mês de antecedência.

“Quem antes não podia ter acesso aos voos porque não encontrava condições de maior competitividade poderá fazê-lo agora. Isso fomentará a compra antecipada e proporcionará aumento na ocupação dos aviões”, indica o comunicado do governo. A Argentina espera alcançar 20 milhões de passageiros até o final do próximo ano, o que seria o dobro dos números de 2015.

As empresas consideraram o anúncio como uma “excelente notícia para todos, principalmente para os 93% dos argentinos que ainda não viajam de avião”, disse a Flybondi, uma das empresas com maior expansão no atual momento de abertura. A desregulação promete ser uma medida de muitos benefícios para os argentinos, especialmente para o turismo e as economias regionais.

A experiência europeia indica que inclusive as companhias tradicionais têm sido favorecidas com essa dinâmica de mercado. “Estamos convencidos de que as autoridades tomaram uma decisão que favorecerá amplamente o crescimento do setor”, afirma Christian Melhus, da Norwegian Air.

A preferência dos argentinos pelo transporte rodoviário vem se modificando, e as companhias de ônibus, que em 2015 transportaram o triplo de passageiros em comparação com o setor aéreo, já sentem diretamente este fluxo de centenas de novas rotas aéreas.

Mais uma low cost que anuncia o seu desembarque na Argentina é a chilena JetSmart, que adquiriu a Alas del Sur e também vai operar a partir da base-aeroporto de Palomar, que será internacionalizado a partir de novembro. A JetSmart é propriedade do fundo de investimentos Indigo Partners, já opera também no Peru e segue com um plano estratégico na aquisição de 70 aviões Airbus A320.

A low cost solicitou 36 rotas nacionais e internacionais, entre eles Santiago, Santa Cruz de la Sierra, Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Lima e Assunção.

Mais voos com o Brasil

Na tarde desta terça (3) chegou ao aeroporto internacional Islas Malvinas o voo inaugural da rota entre Rosário e Porto Alegre operado por um Embraer 195 da Azul Linhas Aéreas. É mais um dos novos voos conectando o Brasil com o interior argentino. Nos próximos dias haverá outro lançamento, a rota entre Foz do Iguaçu e Salta, com três voos semanais da Andes.

Para Rosário, a Azul terá três frequências semanais, abrindo a segunda rota com a cidade argentina. Desde março também funciona um voo semanal (sábados) para o Recife.

Rosário também conta com voos diretos da Latam até São Paulo. Voos sem escalas para Fortaleza e Salvador também estão em estudos por parte da Gol.

A Avianca Argentina, uma das subsidiárias do grupo internacional liderado pela Sinergy, confirma sua intenção de também voar de Buenos Aires para São Paulo nos próximos meses.