A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) habilitou 11 empresas petrolíferas a participarem da segunda e terceira rodadas do pré-sal com o objetivo de explorar e produzir petróleo e gás natural nas bacias de Santos e Campos. Os dois leilões estão marcados para o dia 27 de outubro, no Rio de Janeiro.

Segundo a ANP, os pedidos das empresas que manifestaram interesse e solicitaram qualificação para participarem das duas rodadas foram analisados ontem (25)  pela Comissão Especial de Licitações (CEL).

Das 11 empresas habilitadas, dez são de origem estrangeira e apenas uma, a Petronas, da Malásia, ainda não tem contrato para exploração e produção de petróleo e gás natural no Brasil.

No total, a agência recebeu dez manifestações de interesse para a segunda rodada do pré-sal e 15 para a terceira rodada. Mas somente as 11 habilitadas cumpriram todos os requisitos previstos no edital e estão aptas a participar. “A habilitação é obrigatória e individual para cada interessada, mesmo para aquelas que pretendam apresentar oferta mediante consórcio”, esclareceu a ANP.

A segunda rodada do pré-sal ofertará quatro áreas com jazidas unitizáveis, ou seja, adjacentes a campos ou prospectos cujos reservatórios se estendem para além da área concedida. As áreas são relativas às descobertas denominadas por Gato do Mato e Carcará, e aos campos de Tartaruga Verde e Sapinhoá.

Já a terceira rodada ofertará quatro áreas localizadas nas bacias de Campos e Santos, na região do polígono do pré-sal, relativas aos prospectos de Pau Brasil, Peroba, Alto de Cabo Frio-Oeste e Alto de Cabo Frio-Central.

14ª Rodada

A retomada das licitações para a exploração de petróleo e gás natural nas bacias sedimentares do país terão início amanhã (27), quando a ANP fará em um hotel na Barra da Tijuca, na zona oeste da cidade, a 14ª rodada de licitações.

Serão oferecidos dez blocos exploratórios na Bacia de Campos, dos quais seis localizados total ou parcialmente no litoral do estado do Rio de Janeiro, a principal bacia produtora de óleo e gás natural do país. Os bônus mínimo de assinatura dos contratos a ser pago pelas petrolíferas que vencerem as licitações dos blocos em oferta variam de R$ 5,34 milhões a R$ 25,12 milhões.

Até 2019 estão previstas a realização de nove rodadas de licitações, sob os regimes de concessão ou partilha da produção. A ANP estima que a previsão de investimentos no estado com as nove rodadas programadas até 2019 é de US$ 30 bilhões ao longo da duração dos contratos, de 35 anos. Já a arrecadação com royalties neste mesmo período deve somar US$ 8 bilhões e US$ 400 milhões com participações especiais.

Empresas habilitadas para a 2ª rodada do pré-sal:

1 - ExxonMobil Exploração Brasil Ltda.- Habilitada (Operadora A) - Estados Unidos

2 - Petrogal Brasil S.A. - Habilitada (Não Operadora) - Portugal

3 - Petróleo Brasileiro S.A.- Habilitada (Operadora A) - Brasil

4 - Petronas Carigali SDN BHD - Habilitada (Operadora A) - Malásia

5 - Repsol Sinopec Brasil S.A. - Habilitada (Operadora A) - Espanha

6 - Shell Brasil Petróleo Ltda.- Habilitada (Operadora A) - Reino Unido

7 - Statoil Brasil Óleo e Gás Ltda.- Habilitada (Operadora A) - Noruega

8 - Total E&P do Brasil Ltda.- Habilitada (Operadora A) - França

Empresas habilitadas para a 3ª rodada do pré-sal:

1- BP Energy do Brasil Ltda.- Habilitada (Operadora A) - Reino Unido

2 - CNODC Brasil Petróleo e Gás Ltda.- Habilitada (Não Operadora) - China

3 - ExxonMobil Exploração Brasil Ltda.- Habilitada (Operadora A) - Estados Unidos

4 - Petrogal Brasil S.A. - Habilitada (Não Operadora) - Portugal

5 - Petróleo Brasileiro S.A.- Habilitada (Operadora A) - Brasil

6 - QPI Brasil Petróleo Ltda.- Habilitada (Não Operadora) - Catar

7 - Petronas Carigali SDN BHD - Habilitada (Operadora A) - Malásia

8 - Repsol Exploración S.A.- Habilitada (Operadora A) - Espanha

9 - Shell Brasil Petróleo Ltda.- Habilitada (Operadora A) - Reino Unido

10 - Statoil Brasil Óleo e Gás Ltda. - Habilitada (Operadora A) - Noruega

11 - Total E&P do Brasil Ltda. - Habilitada (Operadora A) - França