A Rússia estará nos holofotes de toda mídia e turistas mundiais nos próximos meses. Nesse momento, é preciso pensar em novas estratégias e apostar em formas interessantes de movimentar o negócio e atrair ainda mais clientes. No caso das franquias, por exemplo, vale lembrar a projeção da Associação Brasileira de Franchising (ABF), que tem como expectativa para 2018 um crescimento de 10% no setor. Áreas de alimentação, serviços e de produtos esportivos e cursos profissionalizantes, como os de idiomas, também podem ir na onda do momento e garantirem um bom resultado.

Vale investir em promoções que atraiam o público em geral, especialmente no segmento de bares e alimentação que podem, por exemplo, criar ações para favorecer grupos de pessoas a fim de atraí-las para assistir aos jogos no local. É preciso que a comunicação seja bem-feita, divulgando previamente aos clientes que o local estará aberto e se haverá alguma promoção. Também vale destacar que é preciso estar preparado para atender um fluxo muitas vezes maior do que o normal e em horários alternados, que anteriormente eram ociosos, como no começo da tarde por um longo período, que são os dias de jogos.

No segmento de decoração e festas e materiais esportivos, por exemplo, a dica é investir em artigos temáticos para a Copa, afinal este segmento costuma ser mais lembrado durante a época.

Cursos profissionalizantes e de idiomas podem lançar promoções para que futuros estudantes comecem a aprender uma nova língua com descontos durante o período da Copa, entre junho e julho, aproveitando ainda a época para os chamados cursos intensivos.

Sob o ponto de vista do varejo, os comerciantes podem se beneficiar, e muito, se souberem aproveitar as oportunidades que um evento esportivo dessa magnitude proporciona. Aqui a dica é ampliar o mix da loja, agregando coleções pertinentes aos itens já comercializados. De toda forma, é preciso ficar atento para não investir muito alto e acabar com um estoque muito grande. 

Vale destacar e alertar para quem busca “surfar” a onda durante o período embarcando em algum negócio em cima da hora. É preciso pensar bastante na sazonalidade do negócio e o ideal é abri-lo alguns meses antes da data de picos de venda para que a loja se adapte e resolva questões operacionais antes de ter algum problema. Com a Copa, alguns negócios crescem e outros param. Assim, é um ano para ter mais cuidado. 

Mercia Machado Vergili - Diretora e consultora da GSPP São Paulo