Ainda que em ritmo tímido, números positivos de desempenho econômico não são mais exceções pontuais e dão base para a convicção da retomada do crescimento no país. Já para 2017, a expectativa é que o Produto Interno Bruto feche com alta de 0,7%. Em 2018, este número pode saltar para a casa de 2,6%, segundo previsão do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Neste cenário, um dos principais desafios para o meio empresarial se dá no plano da estruturação de gerenciamentos financeiros eficientes e que envolvam uma melhoria no controle de dados, gestão de custos, de lucros, de questões tributárias e no desenvolvimento de indicadores estratégicos para que as companhias possam dispor de uma compreensão clara da realidade de suas finanças e, a partir disso, tomar decisões rápidas, corretas e objetivas em prol da evolução de seus posicionamentos de mercado.

Para tanto, os gestores podem contar hoje com soluções de análise que, não só otimizam as questões acima apontadas, mas, por meio de diagnósticos preditivos, apontar caminhos que favoreçam a saúde financeira de seus negócios e aumentem o valor dos dados disponíveis.

Outro ponto fundamental do mercado contemporâneo diz respeito à inovação. Organizações que trabalham para a modernização de seus processos, buscam sempre o aprimoramento e o desenvolvimento de novos produtos, tem muito mais chances de se diferenciar em seu segmento e ganhar espaço em um ambiente de alta competitividade global.

Neste cenário pautado pela transformação digital, soluções que ofereçam a possibilidade de tornar mais ágeis as operações de uma empresa, gerando resultados a partir, por exemplo, das informações do próprio negócio, podem contribuir tanto para uma melhoria exponencial de processos internos, quanto para oferecer mais espaço para que companhias se concentrem de modo mais centrado em seu core business e no desenvolvimento de uma cultura de inovação constante.

Para 2018, o grande desafio em marketing e venda consiste na otimização dos processos gerenciais de ambos setores, e isso envolve questões como a simplificação de operações comerciais, controles de produtividade de equipes, estudos sobre a percepção do público e a descoberta de informações sobre novos targets.

No plano do marketing, uma possibilidade interessante, por exemplo, é o uso do Big Data das redes sociais para a medição do sentimento do público em relação a uma marca. Já em se tratando de vendas, o grande trunfo das soluções de BI e Analytics é unir o poder dos indicadores estratégicos com a descoberta de novos e melhores caminhos para o crescimento das vendas.

Por sua vez, as empresas que quiserem manter seus grandes talentos precisarão contar com um gerenciamento de pessoas qualitativo, controlando de forma confiável os dados sobre funcionários e alinhando os objetivos do negócio as metas de desenvolvimento dos colaboradores.

João Viduedo - Diretor Nacional de Vendas Diretas da Toccato