Reunidos no 3º Youth Ag-Summit – encontro para discutir o desafio de alimentar uma população que, de acordo com várias estimativas, alcançará dez bilhões de pessoas no planeta em 2050 –, cem jovens do mundo inteiro foram confrontados com alguns dos complexos problemas que um cenário dessa magnitude pode trazer. “O grande desafio é como oferecer comida suficiente para todos, de boa qualidade nutricional e que seja produzida de uma maneira que não agrida o planeta”, disse aos jovens Liam Condon, presidente da Crop Science, divisão agrícola da Bayer.

A expectativa é que esses jovens, estudantes selecionados a partir de redações sobre a insegurança alimentar, relacionando-a com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável propostos pela Organização das Nações Unidas, se transformem em agvocates a partir do que aprenderam e das propostas que assumiram. O termo é uma junção de agricultura com advocate – “defesa”, em inglês.

Os participantes saíram empolgados e cheios de ideias e gás para colocar em prática sua condição de agvocates, como mostra reportagem de AméricaEconomia, que acompanhou o encontro na Bélgica. Cinco dos participantes eram do Brasil, um dos 49 países representados no evento. A próxima edição do Youth Ag-Summit, a propósito, será realizada por aqui em 2019.

Também na reunião da Bélgica, Adrian Percy, chefe da área de pesquisa e desenvolvimento da divisão Crop Science, anunciou: “está acontecendo uma revolução na agricultura”. Revolução é a palavra para definir o que ocorre paralelamente na indústria, que vê o nascimento de uma nova etapa produtiva. A utilização em larga escala de automação, robótica, inteligência artificial e internet das coisas é uma das marcas desse cenário. O repórter Felix Ventura conversou com representantes de algumas empresas que já operam com esses novos paradigmas. A reportagem que você lê a partir da página 36 mostra que quem não investir na atualização digital para se integrar à indústria 4.0 corre o risco de não sobreviver.

Cabe, portanto, estar atento e não ficar para trás.