A gigante automotiva Toyota decidiu participar do financiamento de um projeto de carro voador desenvolvido por um grupo de jovens engenheiros que sonham que seu aparato seja usado para acender a chama olímpica nos Jogosde Tóquio em 2020.

No entanto, sua fabricação está atrasada. Um jornalista da Associated Press revelou que até agora só foi construído um chassi de alumínio alimentado por oito motores. O chassi tem o tamanho de um veículo médio e ainda não foi capaz de levantar mais do que uns alguns poucos metros acima do solo.

Os responsáveis pelo carro voador, batizado de SkyDrive, afirmam que terão um protótipo mais ou menos definitivo nos próximos meses.

Cartivator Toyota SkyDrive flying car

 

"Queremos criar um mundo no qual qualquer um possa voar em qualquer momento até o ano de 2050", com a finalidade de destacar o transporte urbano, sobretudo nos países desenvolvidos onde o número de motoristas está onde qualquer um pode voar no céu a qualquer momento até 2050", a fim de desobstruir o transporte urbano, particularmente nos países desenvolvidos onde o número de motoristas está disparando, dizem os defensores do projeto.

"Para concretizar nossa visão é necessário um pequeno automóvel voador capaz de decolar e aterrissar verticalmente, sem a necessidade de pistas especiais", acrescentaram.

O "SkyDrive", de 2,90 m de comprimento por 1,30 m de largura, poderá voar a 100 km/h a uma altura de 10 metros e se deslocar na terra com suas três rodas, podendo alcançar os 150 hm/h com um único motorista a bordo, segundo os detalhes do programa divulgados na Internet.