Veículos de imprensa alemães afirmam que o suspeito faz parte de círculos fundamentalistas islâmicos da região, assim como um segundo suspeito, um alemão de 28 anos da cidade de Fröndeberg, que fica perto de Dortmund.

Ambos são suspeitos de simpatizar com a milícia terrorista Estado Islâmico (EI). As casas de ambos foram verificadas pela polícia.

De acordo com os jornais "Express" e "Kölner Stadt-Anzeiger", as autoridades têm evidências de que ao menos um dos suspeitos estava perto do local do ataque no momento em que ele ocorreu. No entanto, os investigadores destacam a necessidade de agir com cautela e disseram que existem diversas teorias sobre os motivos e os terroristas.

"Ameaça de morte a personalidades na Alemanha" Três bombas explodiram na tarde da terça-feira (11) durante a passagem do ônibus que transportava a equipe alemã ao estádio para uma partida contra o Mônaco válida pelas quartas-de-final da Liga dos Campeões da Europa.

A onda de choque provocada, de mais de 100 metros, explodiu os vidros do veículos. O zagueiro espanhol Marc Bartra ficou ferido, assim como um agente policial que fazia escolta em uma motocicleta. A partida foi adiada para esta quarta-feira (12).

Juntos aos explosivos foram encontradas três cartas idênticas de conteúdo islâmico fazendo ameaças de morte a personalidades da Alemanha e outros países ocidentais e exigindo a retirada dos aviões alemães da Síria e o fechamento da base aérea norte-americana na cidade de alemã de Ramstein.

Vea más noticias de aquí