Uma média de 50% dos brasileiros entrevistados em uma pesquisa da Accenture dizem que confiariam suas contas ou serviços financeiros nas mãos de Facebook, Amazon ou Google se essas empresas oferecessem produtos bancários.

O estudo colocou os brasileiros acima dos indonésios (47%) e italianos (42%), que aparecem na sequência entre os que mais confiam nas empresas da internet em aspectos financeiros.

Em nível global, 31% das 32.715 pessoas consultadas se declararam confiantes no sentido de fazer a troca e 29% afirmaram que contratariam serviços de seguros com essas três empresas se elas os oferecessem.

Tanto a Amazon como o Facebook e o Google gozam do prestígio que garante a sua universalidade e do fato de não possuírem históricos de abusos e mudanças nas suas políticas de custos, como no caso do setor bancário.

Serão bancos algum dia? Atualmente, Facebook e Google já permitem a movimentação de dinheiro entre seus usuários. Trata-se de um negócio global de cerca de US$ 500 bilhões por ano e explica por que o Facebook colocou David Marcus como o responsável pelo Facebook Messenger: ele é o ex-presidente do PayPal.

Ainda assim esse cenário parece improvável, embora a venda de publicidade personalizada e big data permita que essas empresas pensem grande.

De qualquer forma, se a Amazon ou o Google contratarem um ex-Deutsche Bank ou Goldman Sachs para chefiar uma unidade “menor”, vai ter chegado o momento de se preocupar.