A produção de pisco teve uma ascensão considerável nos últimos anos. "O setor continua crescendo, impulsionado por campanhas internas e a entrada em novos mercados. Desde 2012 as cifras são altamente positivas", afirma o Ministério da Produção (Produce) do Peru.

Ministério destaca que o pisco peruano entrou em novos mercados como Índia, Israel, Bélgica, Noruega, República Dominicana, Emirados Árabes Unidos, Austrália, entre outros. Chile e Estados Unidos continuam a ser os principais destinos das exportações.

Regiões produtoras. Lima e Ica são as principais regiões na produção de pisco porque juntas representam 90% da produção nacional. As duas são seguidas por Arequipa, Moquegua e Tacna, de acordo com o Produce.

O ministério afirma que, até o final do ano passado, foram contabilizadas 523 empresas formais produtoras de pisco, sendo Lima a região que concentra o maior número de empresas (48,8%), seguido de Ica (34,6%).

Cresce o número de empresas 

Em 2016, o número de empresas produtoras de pisco no âmbito nacional aumentou 15,5% em relação a 2015, diz o Ministério da Produção.

Em nível regional, o número de empresas produtoras localizadas em Tacna cresceu 14,6% em relação ao mesmo período de análise.

Além disso, o Ministério da Produção estima que cerca de 92% das empresas de produção têm o direito de uso da denominação "Pisco".