Através de um comunicado, a construtora brasileira Odebrecht pediu desculpas à sociedade equatoriana após os eventos das últimas semanas, com a detenção de várias pessoas por haverem recebido supostas propinas da empresa para a realização de projetos no Equador.

Segundo o comunicado, a Odebrecht "confirma à sociedade equatoriana que assinou um Acordo de Cooperação Eficaz com a Procuradoria-Geral do Equador pelo qual foram submetidas de forma exclusiva as informações necessárias para esclarecer os fatos denunciados".

"A empresa pede desculpas à sociedade equatoriana por esse grave erro do qual se arrepende profundamente e agradece a oportunidade de continuar colaborando com as autoridades judiciárias na luta contra a corrupção", afirma.

A Odebrecht realizou uma profunda reestruturação societária através da implementação de um amplo sistema de controle interno abrangente e de governança com tolerância zero para práticas ilegais.

A declaração afirma que as empresas do grupo Odebrecht "afastaram todas as pessoas que cometeram atos ilícitos de seus cargos no Equador, que atualmente estão colaborando com a justiça de outros países".

O procurador Carlos Baca Mancheno já viajou duas vezes ao Brasil para obter informações sobre funcionários do governo Rafael Correa que teriam recebido subornos da empresa brasileira. Entre os detidos estão um tio do vice-presidente Jorge Glas, acusado de ter recebido US$ 13 milhões.