Marcelo Odebrecht, ex-presidente da construtora brasileira Odebrecht, confirmou à justiça do seu país que a empresa deu US$ 3 milhões para a campanha presidencial de Ollanta Humala no Peru, que foi presidente do país entre 2011 e 2016.

De acordo com um documento assinado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, o grupo Odebrecht entregou o dinheiro por meio da Divisão de Operações Estruturadas, escritório responsável pelo pagamento de propinas da companhia.

"O Grupo Odebercht, a pedido de Antonio Palocci Filho, deu US$ 3 milhões ao candidato à Presidência do Peru, Ollanta Humala, por meio da Divisão de Operações Estruturadas", diz o documento.

Em fevereiro passado, o ex-representante da Odebrecht no Peru, Jorge Barata, já havia afirmado que em meados de 2010 a empresa fez uma doação para o Partido Nacionalista que foi entregue a Nadine Heredia.

De acordo com essa versão, o dinheiro foi pago em dinheiro em um apartamento localizado no distrito de Miraflores.