O México se consolidou em 2016 como o maior exportador de cerveja do mundo, com vendas de US$ 2,81 bilhões, alta de 10,7% em relação a 2015. Com o avanço, uma em cada cinco cervejas exportadas no mundo é mexicana.

O concorrente mais próximo do México em nível global, a Holanda, exportou US$ 1,90 bilhão, o mesmo nível do ano anterior.

As posições seguintes foram ocupadas pela por Bélgica (US$ 1,43 bilhão) e Alemanha (US$ 1,30 bilhão).

A previsão é que o México mantenha uma tendência de crescimento na produção, tendo em vista os investimentos feitos recentemente. Entre seus produtos agroindustriais, a cerveja é o mais exportado.

Do total de exportações desta bebida feita pelo México em 2016, 81,3% foram para os Estados Unidos, enquanto o restante foi para dezenas de países, entre eles, Austrália, Chile, Canadá, Reino Unido, Nova Zelândia, Itália, China, Espanha e Colômbia.

Arnulfo Gómez, pesquisador da Universidad Anáhuac, disse que o Grupo Modelo exporta para 184 países e que o novo projeto da empresa para abastecer com cevada 100% mexicana a todas as suas necessidades desse insumo, permitirá dar a certeza aos agricultores nacionais para impulsionar sua produção.

Entre as marcas, Corona é a cerveja mexicana mais vendida no mundo. Em 2016, foi classificado na sexta posição na lista BrandZ das marcas de cervejas mais valiosas do mundo.

Para Gabriela Siller, diretora de Análise Econômica e Financeira do Banco Base, o posicionamento global da Corona e de outras marcas de cerveja produzidas no México é outro fator que explica o sucesso das exportações mexicanas desta bebida.