Empresas de tecnologia como Intel, Hewlett-Packard e Tesla, além de companhias de alimentos e moda, assinaram uma carta aberta na sexta-feira (2) contra a decisão do governo Trump de retirar os EUA do acordo climático de Paris.

No comunicado, elas afirmaram que se sentem "profundamente obrigadas" a proteger o clima e que querem que a economia dos EUA tenha uma maior eficiência energética, com menor emissão de gases de efeito estufa,.

"Soluções rentáveis ​​e inovadoras podem nos ajudar a atingir esse objetivo", afirmam na carta. "Abandonar o objetivo de ter uma economia com baixas emissões pode prejudicar o bem-estar dos norte-americanos".

Disney e Tesla contra Trump 

Horas antes, o presidente e CEO da Disney, Robert Iger, e o fundador da fabricante de carros elétricos Tesla, Elon Musk, anunciaram que renunciam à função que tinham de assessorar o governo Trump por causa da decisão tomada.

"Por questão de princípios, renunciei ao conselho do presidente por causa da saída do Acordo de Paris", afirmou Iger no Twitter.

Musk anunciou que "não tinha outra escolha", mas deixar o serviço consultivo. "A mudança climática é real. Deixar [o acordo de] Paris não é bom para os Estados Unidos nem para o mundo", escreveu Musk no Twitter.

Iger e Musk faziam parte de comitês que envolvem outras dezenas de empresários norte-americanos que assessoram Trump em questões econômicas.

Vea más noticias de aquí