A forma de monetização da Wecash, plataforma chinesa de avaliação de risco de crédito, pode ser diferente, mas não deixa de dar boas margens de lucro para a gigante asiática. Com mais de 63 milhões de usuários ativos e um valor de mercado próximo a R$ 1 bilhão, a empresa aposta na união entre ferramentas tecnológicas avançadas e um modelo disruptivo de negócios.

A companhia fornece para instituições financeiras o Relatório Wecash, que avalia inúmeras dimensões do relacionamento de uma pessoa com sua renda e que fica pronto em 15 minutos.

O diferencial: zero de custo para as instituições financeiras, o que torna a opção atraente e gera uma economia de bilhões de reais à receita dos contratantes. A Wecash só passa a receber uma comissão dos bancos à medida que o tomador de crédito pague as prestações assumidas.

O Chief Operating Officer (COO) da Wecash, Roger Madeira, explica que o processo de remuneração da empresa é uma demonstração de confiança na eficiência de seu sistema de avaliação de crédito. “A remuneração depende do sucesso mensal da operação”, diz.

Recentemente, a empresa se instalou no Brasil com o intuito de atacar diretamente o modelo de análise de crédito praticado no país. “Esse custo encarece a concessão de crédito na medida em que ele é transferido para a taxa de juros do empréstimo”, explica o COO. Depois do Brasil, a Wecash projeta rápida expansão para Argentina, Uruguai, Chile e México.