Amar, odiar amar ou amar odiar; mas nunca um sentimento no meio.

Isso é o que a Comic Sans faz com pessoas. Em entrevista ao "The Guardian", Vincent Connare - seu criador, em 1994 - revelou as origens da fonte que preenche todos os requisitos para ser coroada como a fonte mais odiada do mundo.

A Comic Sans nasceu de uma ideia do Microsoft para tornar os computadores mais acessíveis às crianças.

Uma equipe da empresa teve de desenvolver letras amigáveis ​​para vários programas concebidos para crianças. Um deles, de acordo com Connare, era o Microsoft Bob: Quando você abria o programa saltava um cachorro e um balão de diálogo em Times New Roman.

"Os cães não falam em Times New Roman", dizia Connare. Foi aí que surgiu a ideia de fazer um tipo de fonte que quebraria as regras, como de quadrinhos.

O designer olhou graphic novels como Watchmen e O Cavaleiro das Trevas, e notou que todos usavam um estilo de letras feita à mão. Isso serviu de inspiração para criar algo semelhante. "Não tinha que fazer linhas retas, não tinha que fazer que as coisas parecessem perfeiras, e essa era a parte divertida", diz Connare.

A sua fonte, chamada Comic Sans, não foi concluída a tempo de ser incluída no programa, mas ganhou fama de várias formas: os organizadores do evento começaram a usá-la em seus e-mails... até que a Microsoft está incluído no Windows 95.

Para Tom Stephens, então gerente do programa, a Comic Sans não faz parte do mundo tecnológico, mas uma viagem à infância. "Quando você a usa está fazendo uma declaração: eu sou mais relaxado, mais criativo", afirma.

Depois que tipografia foi incorporada ao Windows 95 é que a ojeriza se tornou enorme. Além das mensagens de ódeio, houve até o surgimento de um grupo chamado Ban Comic Sans (Ban Comic Sans) com a missão de erradicá-la, mas, acima de tudo, educar as pessoas, fazendo-as compreender as implicações que podem levar escrever usando a fonte Comic Sans. Este site tem a mesma finalidade.

No entanto, Connare admitiu que a maioria das pessoas que vêm para conversar com ele sobre Comic Sans dizem que sentem uma atração por ela. Paradoxal ou uma espécie de prazer culpado?