O ministro dos Transportes da Argentina, Guillermo Dietrich, anunciou que em julho terá início o processo de relicitação de 5.500 km de rodovias nacionais através do sistema de Parcerias Público-Privadas (PPP), no valor de 70 bilhões de pesos e um prazo de entrega de quatro anos.

A informação foi antecipada durante a apresentação do Plano Nacional de Transporte e Infraestrutura aos diretores da Associação de Fabricantes Automotivos (Adefa, na sigla em espanhol), durante o Salão Internacional do Automóvel de Buenos Aires.

O plano irá envolver as rotas nacionais 3, 5, 7, 8, 9, 34 e 226, que terão as concessões já vencidas derrubadas, mas também podem ser prorrogadas no processo de relicitação.

O desenvolvimento de infraestrutura através do sistema de PPP, no âmbito da Lei 27.328, aprovada em novembro pelo Congresso Nacional, é uma alternativa aos sistemas clássicos contratação de obras públicas, nos quais o Estado projeta, financia, paga e opera e a empresa privada só executa e constrói.

"Estamos licitando sete rotas de um total de onze corredores rodoviários atualmente sob concessão", disse Dietrich, afirmando que para isso será feito em Julho um "data room" que irá informar as empresas interessadas sobre as características das obras e responder a consultas técnicas dos possíveis interessados.

As obras fazem parte do Plano Nacional de Transportes e Infraestrutura que, entre outros objetivos, inclui a construção de 2.800 km de rodovias no período 2015-2019 e dos quais 1.324 já estão em construção.